XXIII Congresso Estadual dos Vigilantes encerra com ações unificadas para o enfrentamento das reformas

Escrito por Administrador. Publicado em Mais Notícias

25-10-2017

Após dois dias de palestras e debates em torno da Reforma Trabalhista e seus impactos nas relações de trabalho, Reforma da Previdência e Lei da Terceirização, a Federação dos Vigilantes do Estado do Rio Grande do Sul encerrou o XXIII Congresso Estadual dos Vigilantes do Estado do Rio Grande do Sul com deliberações para o enfrentamento destas mudanças.

 

Na ocasião foram realizadas palestras acerca dos temas com participações do Dieese/RS, representante da Amatra, presidente da Contrasp e do Sindicato dos Vigilantes do Estado do Rio de Janeiro.

 

Em suas análises foram críticos com relação à Reforma Trabalhista, conjuntura econômica e política do país e ainda destacaram os prejuízos tanto para a classe trabalhadora quanto para o movimento sindical brasileiro, decorrentes da aprovação desta nova legislação.

 

“O enfrentamento destas reformas passa pela organização, conscientização , unificação e fortalecimento das entidades sindicais e os trabalhadores serão parte integrante e fundamental, afirmam congressistas”.

Teremos muitos desafios pela frente, mas saímos fortalecidos com ações unificadas para o fortalecimento da base e a conscientização dos trabalhadores da importância da filiação junto ao seu sindicato, pois somente assim será possível vencer as barreiras impostas por estas reformas, afirma Claudiomir Brum, presidente da Federação dos Vigilantes do Rio Grande do Sul.

Principal canal de diálogo e debates, o Congresso Estadual da categoria, ocorreu nos dias 19 e 20 de outubro, no Hotel Ritter, na capital e teve como objetivo discutir as reformas e os impactos para os trabalhadores da segurança privada.

O evento contou com a participação dos Sindicatos filiados e delegados de base de Caxias do Sul, Passo Fundo, Alto Uruguai, Novo Hamburgo, Ijuí, Alegrete, Santa Maria, Guaíba, Confederação Nacional dos Vigilantes – Contrasp, Representante da Amatra, Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro e do Diesse/RS.

Fonte: Assessoria de Comunicação FEPSP-RS